Nadinho de Rio das Pedras é assassinado na zona oeste do Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO ¿ O ex-vereador Josinaldo Francisco da Cruz, o Nadinho de Rio das Pedras, foi assassinado nesta quarta-feira na porta do prédio em que morava no condomínio Rio II, no bairro de Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Militar, Nadinho foi atingido por pelo menos dez disparos.

Redação |

Divulgação

O ex-vereador Nadinho de Rio das Pedras

De acordo com testemunhas, um homem apareceu no prédio Residencial Provence, por volta de meio-dia, e pediu ao porteiro para chamar Nadinho. Assim que o ex-vereador apareceu, três homens a bordo de um Audi começaram a disparar e fugiram logo em seguida.

No momento do incidente, Nadinho estava acompanhado do cabo da Polícia Militar Lúcio da Silva, do 4º BPM (São Cristóvão). Ele foi atingido por um tiro na região do tórax e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Segundo a unidade médica, o policial está sendo avaliado e seu quadro é estável.

Em dezembro de 2008, Nadinho já havia sofrido um atentado próximo a sua casa, na favela Rio das Pedras , em Jacarepaguá. Na ocasião, o ex-vereador levou um tiro no tórax e outro na perna, mas conseguiu sobreviver.

Nadinho era um dos líderes políticos de Rio das Pedras e suspeito de liderar uma milícia que atua na comunidade. Em novembro do ano passado, os deputados estaduais Marcelo Freixo (Psol) e Gilberto Palmares (PT) apresentaram o relatório final da CPI das Milícias e pediram o indiciamento de 226 pessoas suspeitas de terem ligação com grupos paramilitares. Entre os citados está o nome de Nadinho.

Histórico

O ex-parlamentar também era suspeito de ter sido o mandante do assassinato do inspetor Félix dos Santos Tostes, em fevereiro de 2007. Nadinho chegou a ser preso pelo crime em novembro do mesmo ano, mas negou tudo, e, respondia ao processo em liberdade.

Segundo denúncias, o inspetor assassinado disputava a liderança da milícia de Rio das Pedras com Nadinho e, além disso, respondia a um inquérito sobre a máfia dos caça-níqueis.

Em novembro de 2008, a viúva de Tostes, Maria do Socorro Barbosa Tostes, sofreu um atentado em Jacarepaguá. Ela teve o carro interceptado por homens armados e levou três tiros.

A viúva é a principal testemunha de acusação no inquérito da morte do marido. Maria do Socorro disse à Justiça que, um dia antes da morte do inspetor, Tostes teria dito a ela que Nadinho estava lhe preparando uma emboscada.

Veja também:

Leia mais sobre: milícias

    Leia tudo sobre: milíciamilíciasrio das pedras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG