Nações ricas e emergentes não fixam metas climáticas

Os líderes dos principais países ricos e emergentes do mundo concordaram nesta quarta-feira em trabalhar juntos para reduzir as emissões de gases poluentes no longo prazo. Os governantes, no entanto, não fixaram metas climáticas concretas.

Agência Estado |

O acordo foi anunciado no encerramento de um encontro realizado
durante a cúpula do Grupo dos Oito (G-8) entre seus países-membros (Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Canadá, Rússia e Japão), cinco nações emergentes (Brasil, China, Índia, México e África do Sul), além de Austrália, Indonésia e Coréia do Sul.

"Apoiamos uma visão compartilhada para uma cooperação, que inclui uma meta global a longo prazo para a redução das emissões", disseram num comunicado os líderes dos 16 países, que emitem cerca de 80% do gases responsáveis pelo efeito estufa.

A nota não apresentou, no entanto, datas ou números específicos sobre quanto os países ricos e as nações em desenvolvimento deveriam cortar das emissões.

O G-8 recomendou ontem um corte de 50% das emissões dos gases poluentes até 2050, mas pressionou os países em desenvolvimento a se juntarem no esforço. As informações são da Dow Jones

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG