O PV utilizou todo o seu programa partidário no rádio e na televisão para divulgar a biografia da senadora Marina Silva (AC), que se filiou à sigla no mês passado e deverá disputar o Palácio do Planalto no ano que vem. Nos dez minutos do filme, que foi ao ar ontem à noite, Marina já colocou em prática a estratégia desenhada pela cúpula do PV para o ano que vem, de estender o discurso ambiental para outros setores.

"Desenvolvimento sustentável não é só floresta, não é só biodiversidade", disse a senadora no programa ao defender o "socioambientalismo". Na fala, ela tratou até mesmo de comércio exterior. "As pessoas devem preferir nossos produtos porque eles foram feitos respeitando o meio ambiente, a legislação trabalhista e a segurança alimentar." Outros líderes do PV nem sequer tiveram espaço no vídeo, a não ser nas reproduções dos discursos que fizeram na festa da filiação de Marina, em São Paulo.

O partido não criticou diretamente o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nem abordou divergências entre a senadora e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, mas deixou claro que a saída de Marina do governo não foi pacífica. "Em 2008, Marina deixou o Ministério do Meio Ambiente para garantir as conquistas que tinha feito, dizendo: perco a cabeça, mas não perco o juízo." O filme não menciona a candidatura ao Planalto em 2010, mas destaca o desempenho de Marina na disputa do Senado. "Comecei a campanha com 3%. No final, fui a senadora mais votada." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.