Na primeira semana da Lei Antifumo, menos de 1% dos locais fiscalizados são multados

SÃO PAULO - Na primeira semana da Lei Antifumo, 55 dos 7.428 estabelecimentos fiscalizados foram multados, afirma a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Trata-se de menos de 1% dos locais - dado comemorado pela secretaria. As blitze diárias de fiscalização constataram que a adesão dos paulistas à norma é praticamente total, afirma, em nota, a assessoria de imprensa. Na capital, 14 estabelecimentos foram multados.

Redação |


No interior de São Paulo, a prefeitura informa que foram realizadas 4.879 fiscalizações, com 41 autuações. Já na capital paulista, foram 2.549 fiscalizações e 14 multas aplicadas.

A secretaria informa ainda que, dias antes de a lei entrar em vigor, 84% dos estabelecimentos visitados já haviam proibido o cigarro em ambientes fechados. "A lei entrou em vigor no último dia 7 de agosto. Mas a sociedade já vinha se preparando e esperando por ela", disse a diretora da Vigilância Sanitária do Estado, Cristina Megid.

AE

Fiscais trabalham durante a noite em São Paulo


A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo afirma que as blitze diárias continuarão ocorrendo em qualquer horário do dia ou da noite.


Fiscais à paisana

O governo de São Paulo decidiu mudar a estratégia de fiscalização da norma que proíbe o fumo e o fumódromo em ambiente interno de espaços públicos e privados do Estado. A partir de agora, uma parte dos 500 fiscais escalados para as blitze vai circular por bares, restaurantes e casas noturnas à paisana , sem o colete de identificação.

O objetivo é coibir as irregularidades, uma vez que, em alguns locais, as pessoas acendem o cigarro assim que os agentes da Vigilância Sanitária e do Procon viram as costas, em especial após a 1 hora.

Leia também:

    Leia tudo sobre: bareslei antifumosaúdeserra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG