Na hora de escolher o presente, segurança é fundamental

Na hora de escolher o presente, segurança é fundamental Por Andressa Zanandrea São Paulo, 09 (AE) - Na hora de escolher o presente do Dia das Crianças, além de paciência e criatividade é preciso ter atenção para não levar um perigo para casa. Muito mais do que agradar, o brinquedo tem de ser seguro.

Agência Estado |

Além de adequado à idade, ele precisa ser inquebrável, não deve ter partes pequenas que se soltam e deve ser grande o suficiente para não ser colocado na boca.

Essas recomendações são importantes para evitar que as crianças, sobretudo as menores de 5 anos, acabem aspirando ou engolindo rodinhas, botões e outras partes que podem ser arrancadas - ou até brinquedos inteiros. Se a criança põe na boca uma tampa de caneta ou moeda, pode apenas engasgar e engolir.

O quadro se agrava quando o objeto, em vez de ir ao estômago, chega às vias respiratórias. Isso pode causar dificuldade de respirar e até parada respiratória. "Se começar a ficar roxa e perder os sentidos, está com bloqueio total e pode morrer em minutos", alerta a pediatra Renata Waksman, presidente do Departamento de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Quanto menor a idade, maior o risco, diz a broncoscopista Viviane Rossi Figueiredo, presidente do Departamento de Endoscopia Respiratória da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia."Com 1 ano, a traquéia tem o diâmetro da caneta."

Em casa, onde ocorrem 90% dos casos, todo cuidado é pouco: é preciso tirar do alcance todos os objetos pequenos, principalmente na cozinha. Quando a comida está em preparo, o local se torna um verdadeiro playground para pimpolhos que querem explorar o mundo e descobrir o próprio corpo. Até os 2 anos, segundo Renata, costumam levar tudo o que vêem à boca. Depois, tentam outros orifícios, como nariz e orelha.

A maioria dos pequenos engasga com grãos, como feijão, milho e amendoim, mas isso também pode ocorrer com outros alimentos, como carne e salsicha. É importante cortar bem a comida e evitar maus hábitos, como comer brincando ou andando.

Às vezes, os pais nem percebem o acidente, acredita a pediatra Teresa Uras, do Hospital Samaritano, em São Paulo. "Uma menina foi internada com uma pneumonia e descobrimos que havia um amendoim no pulmão. " Entre os sintomas da aspiração de corpo estranho estão tosse, chiado e respiração rápida e difícil.

A comerciante Débora Flandoli, de 34 anos, foi ágil quando a filha Isabela, de 4 anos, engoliu o fecho de um relógio de pulso. "Escutei quando ela engasgou e corri para o hospital." A menina chegou a ficar com a respiração comprometida, mas felizmente o fecho foi para o estômago e retirado por endoscopia. "Agora, tudo o que é pequeno fica longe dela."

Boxe:

PREVENÇÃO
Evite dar alimentos como amendoim, pipoca e balas antes dos 4 anos

Corte carne, legumes e salsicha bem pequenos

Ensine a criança a mastigar devagar, a não dar risadas ou falar durante as refeições

Evite que a criança ande ou brinque com alimento ou objetos na boca

Deixe objetos pequenos, como moedas e bexigas, fora do alcance dos menores de 5 anos

PRIMEIROS SOCORROS
Não coloque o dedo na boca da criança para tentar tirar o objeto. Isso pode
empurrá-lo ainda mais e acabar obstruindo totalmente a respiração

Não vire a criança de cabeça para baixo

Se a criança estiver tossindo e respirando, não bata nas costas. O objeto pode entalar, impedindo a respiração

Se ela não estiver respirando, faça respiração boca a boca

Ligue imediatamente para o resgate ou leve a criança o mais rápido possível ao pronto-socorro

Não force o vômito nem dê água ou alimentos

Mesmo que objetos ou alimentos sejam expelidos, leve a criança ao médico, para ver se não houve
alguma lesão em órgãos

Faça um curso de suporte básico de vida para aprender as manobras de emergência para colocar o corpo estranho para fora

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG