Na CPI, Félix diz que lei prevê gasto sigiloso com cartão

Em apresentação aos integrantes da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões Corporativos, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Jorge Armando Félix, afirmou hoje que a lei prevê o uso de cartões corporativos para gastos de caráter sigiloso. Ele ressaltou, no entanto, que sigilo de informações não se confunde com falta de controle.

Agência Estado |

De acordo com o ministro, o processo de fiscalização de gastos considerados sigilosos é o mesmo adotado para as despesas não sigilosas, mas os primeiros não podem ser divulgados. No início de sua apresentação, o ministro detalhou aos parlamentares os procedimentos adotados por sua pasta visando garantir a segurança do presidente e do vice-presidente da República e de seus familiares e das demais autoridades do Executivo. As informações são da Agência Senado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG