O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, que depôs hoje na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Escutas Telefônicas, pediu aos integrantes da comissão que proponham uma lei que autorize a Abin a quebrar o sigilo telefônico e fazer escutas quando houver ameaças de terrorismo e de sabotagem contra o Estado. Paulo Lacerda alertou que, atualmente, a Abin não pode realizar escutas telefônicas, diferentemente do que ocorre com os serviços de inteligência de diversos países.

A informação é da Agência Câmara.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.