RIO DE JANEIRO (Reuters) - A primeira montagem do esqueleto de um dinossauro carnívoro de grande porte feita no país foi apresentada nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro. A réplica, de quase 6 metros, representa um Angaturama limai, que viveu há 110 milhões de anos no Nordeste do Brasil. A réplica do Angaturama limai, cuja descoberta foi anunciada em 1996 por paleontólogos do Museu Nacional e da UFRJ, faz parte da exposição Dinossauros no Sertão, que também apresenta fósseis do animal.

"É muito raro encontrarmos no Brasil um material fóssil desta idade (110 milhões de anos) tão bem preservado e que nos dê tantas informações úteis para a pesquisa", disse o paleontólogo Alexander Kellner, um dos responsáveis pela descoberta.

De acordo com os pesquisadores, esses dinossauros, os chamados espinossaurídeos, viveram durante o Cretáceo no Brasil e na África e se caracterizam pelo crânio longo, narinas na região média da cabeça (e não na ponta do focinho) e uma dentição semelhante a dos crocodilomorfos modernos.

No Brasil, eles ocuparam a região da Chapada do Araripe, um planalto localizado na divisa dos Estados de Ceará, Piauí e Pernambuco, disseram os pesquisadores em comunicado.

Quando o "Angaturama limai" foi descrito em 1996, os pesquisadores contavam com cerca de 10 por cento dos fósseis de um animal. Agora, os ossos preservados representam 60 por cento, incluindo a pélvis, partes da coluna cervical, ossos das mãos e das pernas e partes do crânio.

(Por Pedro Fonseca)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.