Museu de Arte Moderna do Rio inaugura exposição com obras de Vik Muniz

RIO DE JANEIRO ¿ O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro abre ao público nesta sexta-feira a maior exposição já dedicada ao trabalho do artista plástico e fotógrafo paulistano Vik Muniz. A mostra ¿Vik¿ ocupa um espaço de cerca de 1.500m² do MAM. Lá, estão reunidas 131 fotografias de dimensões variadas de trabalhos realizados por Muniz a partir de diferentes técnicas e materiais inusitados, como geléias, sucatas e papéis picados.

Anderson Dezan, do Último Segundo |


Antes de chegar ao País, a exposição passou pelo Museum of Modern Art (MoMA), em Nova Iorque, e Miami Fine Arts Museum, além de México e Canadá. No Brasil, a mostra desembarca com 20 trabalhos a mais, incluindo três trípticos (três pinturas juntas que forma uma única imagem).

Divulgação
Entre as obras que mais chamam a atenção do público estão a reprodução de Mona Lisa feita com pasta de amendoim, o retrato de Elizabeth Taylor montado com centenas de pequenos diamantes ( foto ) e a Medusa de macarrão e molho marinara. Segundo o artista, a relação do material usado com o tema retratado é proposital.

Na série Sugar Children, de 1996, Muniz retratou com açúcar crianças que ele conheceu no Caribe. Na região são comuns os trabalhadores nos canaviais locais em regime semiescravo. A radiosa infância daquelas crianças vai certamente ser transformada, pelo açúcar, em açúcar, analisa o artista.

Na exposição do MAM, o público também poderá conferir três vídeos realizados pelo fotógrafo Fábio Ghivelder, um colaborador de Muniz. Os filmes mostram o processo criativo do artista plástico, fazendo um making of da construção das obras. Um dos vídeos será exibido em um monitor de plasma colocado no chão. Dessa forma, o espectador poderá compartilhar o mesmo ponto de vista que Muniz teve ao fotografar de cima as obras da série Pictures of Garbage (Imagens do Lixo).

A obra do paulistano coloca seu nome no hall dos artistas mais populares da arte contemporânea na atualidade. Especialistas apontam suas criações impactantes como trabalhos fáceis de serem entendidos pelos observadores comuns, sem perder o requinte que agrada o olhar treinado de críticos e colecionadores de arte. O artista faz só metade da obra, o observador faz o resto, afirma Muniz. Eu faço arte para poder observar pessoas a observarem minhas obras.

A mostra Vik tem direção de montagem de Emílio Kalil. Depois do Rio de Janeiro, a exposição seguirá para o Museu de Arte de São Paulo (MASP), onde irá estrear no dia 23 de abril.

Ascensão profissional

Divulgação
Nascido em São Paulo, Vik Muniz, de 47 anos, está radicado há 25 anos em Nova Iorque. Filho de um garçom e uma telefonista, o artista chegou aos Estados Unidos depois de apartar uma briga e ser atingido na perna por um tiro. O autor do disparo era a vítima que Muniz defendia e, como recompensa, o homem ofereceu-lhe uma boa quantidade de dinheiro que financiou sua viagem a Chicago, em 1983.

Seu trabalho começou a ganhar destaque há 14 anos, quando um crítico do jornal "New York Times" viu um trabalho seu em uma galeria de arte e fez uma resenha. A crítica rendeu-lhe o convite para uma mostra no MoMA. No início da carreira, Muniz se dedicava à escultura, mas, em meados dos anos 90, ele percebeu que ao documentá-las através de fotos conseguia resultados melhores que pretendia.

Atualmente, suas obras estão nos principais museus e galerias de arte do mundo, como o Tate Modern, em Londres, o Getty Institute, em Los Angeles, e o MAM de São Paulo. Vik Muniz é o único brasileiro vivo a figurar no livro 501 Great Artists: A Comprehensive Guide to the Giants of the Art World. O outro artista nacional citado na lista é o carioca Hélio Oticica, falecido em março de 1980.

Serviço / Exposição Vik

Período de visitação:
de 23 de janeiro a 8 de março de 2009

Horário:
de 12h às 18h, de terça a sexta-feira
de 12h às 19h, sábados, domingos e feriados

Valores dos ingressos:
Inteira ¿ R$ 8,00
Meia ¿ R$ 4,00
Estudantes, maiores de 60 anos e crianças até 12 anos em grupos (mais de cinco por responsável) ¿ R$ 4,00
Amigos do MAM, funcionários de empresas mantenedoras do MAM ¿ Entrada gratuita (mediante apresentação de carteira comprovatória)

Local:
Museu de Arte Moderna ¿ MAM/RJ
Avenida Infante Dom Henrique, 85
Telefone: (21) 2240-4944
Estacionamento pago no local (entre 7h e 22h)

Classificação etária: Livre

Acesso a deficientes: O MAM dispõe de duas cadeiras de roda, rampas de acesso, elevadores e sanitários especiais nos salões de exposição.

Leia mais sobre: Vik Muniz

    Leia tudo sobre: vik muniz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG