Murdoch pede desculpas mas nega que desenho do New York Post seja racista

O magnata Rupert Murdoch, dono do New York Post, pediu desculpas nesta terça-feira por uma polêmica caricatura que motivou protestos contra o jornal, embora tenha negado que sua intenção fosse racista.

AFP |

"Não pretendia ser racista, mas infelizmente foi interpretada por muitos como tal", disse Murdoch em um comunicado divulgado no tablóide após uma semana de polêmicas em torno do desenho.

"Cometemos um erro", admitiu Murdoch. "Publicamos uma caricatura que ofendeu muita gente. Hoje quero me desculpar pessoalmente a todos os leitores que se sentiram ofendidos ou, inclusive, insultados".

O jornal publicou na quarta-feira passada uma caricatura na qual mostrava um policial matando um macaco. No desenho, outro policial lança um comentário: "Vão ter que encontrar outro na próxima vez que quiserem redigir um novo projeto de lei de relançamento" da economia.

A caricatura faz o vínculo humorístico entre um projeto de lei de reativação econômica e um incidente ocorrido dois dias antes em Connecticut, quando um agente matou um chimpanzé que havia ferido gravemente uma mulher.

Muitas pessoas protestaram por considerar que, como o presidente Barack Obama havia estimulado o projeto de lei, embora não tivesse redigido, o desenho o estaria comparando a um macaco.

ltl/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG