Tamanho do texto

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), defendeu a colega de partido e pré-candidata à prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, multada por ter dado entrevistas que caracterizariam propaganda eleitoral antecipada.É uma prática comum entrevistar pessoas ligadas à política, não se pode caracterizar isso como antecipação de campanha. Isso parece abuso e uma decisão absolutamente precipitada, afirmou Chinaglia.


Marta foi multada em R$ 42,5 mil devido a entrevistas concedidas ao jornal "Folha de S.Paulo" e à revista "Veja São Paulo", que também foram multados em R$ 21,2 mil cada.

A multa veio de uma representação do Ministério Público Eleitoral, que foi acatada pelo juiz da 1ª zona eleitoral de São Paulo, Francisco Carlos Shintate. Ele acompanhou o entendimento do MPE de que as reportagens "exorbitaram do mero interesse jornalístico, exercida a liberdade de informação de modo inadequado, a ponto de caracterizar propaganda eleitoral extemporânea".

Por ser uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral os multados ainda podem recorrer da decisão.

Leia mais sobre: eleições municipais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.