Mulheres sofrem mais do que os homens com a perda de cabelos

Mulheres sofrem mais do que os homens com a perda de cabelos Por Por Ademir Júnior (*) São Paulo, 30 (AE) - Recentemente iniciamos uma pesquisa com voluntários no Grupo de Assistência a Problemas dos Cabelos (GAPCA). Até o momento foram entregues 124 questionários questionando sobre a queda de cabelos e o valor dado por mulheres e homens quanto à importância em suas vidas.

Agência Estado |

Na pesquisa 77 homens e 47 mulheres com faixa etária entre 18 a 56 anos e histórico de queda de cabelos responderam perguntas sobre quanto tempo fazia que estavam perdendo cabelos, sobre localização da queda no couro cabeludo (se no topo, difusa por toda a extensão do couro ou em áreas localizadas), se a queda de cabelos estava interferindo em suas vidas e com que intensidade poderia esta queda estar trazendo desconforto pessoal (pouco, moderado ou intenso) e se consideravam quadros de quedas capilares no sexo oposto mais ou menos importante que no seu próprio sexo.

Vinte e seis homens (33,7%) disseram se importar pouco com sua queda, 28 (36,3%) disseram se importar moderadamente com a mesma e 23 (29,8%) disseram que se importavam intensamente com o quadro de perda de cabelos.

Entre as mulheres, 11 (23,4%) disseram que tinham pouca preocupação com o quadro enquanto que 15 (31,9%) se preocupavam moderadamente e 21 (44,7%) delas se preocupam de forma importante com suas quedas capilares.

Socialmente as mulheres estabelecem um perfil de relacionamento com seus cabelos diferente dos homens. Desde a infância e ao longo de suas vidas se preocupam com os cuidados pessoais como lavar, pentear, prender, tingir, alisar ou ondular seus cabelos, o que justificaria uma maior preocupação das mesmas com a queda capilar. Outro detalhe importante e relacionado nos questionários respondidos pelas mulheres é que comparativamente com homens é menor a freqüência de calvície feminina, o que de certa forma poderia estar relacionado com a maior preocupação por parte delas frente ao menor sinal do raleamento dos cabelos, uma vez que acreditam que a sociedade encara de forma mais natural um homem calvo e com maior estranheza uma mulher com este problema.

Quanto aos homens, ressalto que muitos acreditam que suas quedas capilares têm mais valor do que a das mulheres por conta de ser um dos únicos pontos que estão relacionados à vaidade masculina, uma vez que as mulheres estão ao longo de toda a vida enfrentando situações como a celulite, estrias, rugas etc.

Argumentos contra e a favor da maior preocupação quanto à queda de cabelos apenas reforçam a eterna guerra dos sexos. Apesar disto, o que acaba valendo é a constatação de que as mulheres que perdem cabelos realmente se importam mais com este problema do que os homens.

(*) Ademir Júnior é tricologista e presidente do GAPCA (Grupo de Assistência a problemas dos Cabelos) - www.ademirjr.com.br
(**) O conteúdo dos artigos médicos é de responsabilidade exclusiva dos autores.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG