Mulheres sem terra ligadas ao MST lideraram hoje a quinta reocupação da Fazenda Uberaba, no município de Bonito, no agreste, a 137 quilômetros do Recife. A reocupação marcou o início da Jornada de Lutas das Mulheres da Via Campesina, em comemoração ao dia da mulher, sob o tema Contra o agronegócio e contra a violência: reforma agrária e soberania alimentar.

A Fazenda Uberaba é reivindicada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) desde 2004. O movimento afirma que a propriedade tem 600 hectares e é improdutiva. O administrador da fazenda, Felipe Galindo Souto - neto da proprietária Maria Barros Galindo - retruca que a área já foi de cerca de 300 hectares, mas hoje se resume a 100 hectares, cinco deles arrendados para um empresário que há dois anos e meio transformou a casa grande em pousada e restaurante. Nos outros 95 hectares, segundo ele, são criados aves, porcos e gado da raça Nelore, além de serem cultivados milho, abóbora e pimentão. "A terra é produtiva", garante.

A direção do MST prevê novas "ações" até amanhã quando mulheres ligadas a vários movimentos sociais de luta pela terra farão uma marcha pelo Recife. Uma pauta de reivindicações deve ser entregue na Secretaria Estadual da Mulher.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.