HOUSTON (Reuters) - Lynette Squeaky Fromme, que tentou assassinar o presidente Gerald Ford em 1975 e foi uma seguidora do assassino Charles Manson, foi solta de uma prisão no Texas nesta sexta-feira após cumprir sua sentença, informou o Birô Federal de Prisões. Fromme, de 60 anos, cumpriu uma sentença de prisão perpétua pela tentativa de assassinato, mas recebeu a liberdade condicional há quase 25 anos. Ela renunciou ao seu direito de liberdade condicional e escolheu continuar na prisão.

Ford ficou ileso quando um agente do Serviço Secreto agarrou a arma que Fromme apontava para o presidente em Sacramento, na Califórnia, em 5 de setembro de 1975.

Fromme tinha sido uma seguidora de Manson, que foi condenado por orquestrar os assassinatos da atriz Sharon Tate e de outras oito pessoas na Califórnia em 1969 e ainda está cumprindo pena na prisão. Fromme nunca foi relacionada a esses crimes.

Ela foi solta do Centro Médico Federal Carswell, próximo de Fort Worth, informou a porta-voz do Birô, Felicia Ponce. O centro médico providencia tratamento especializado médico e mental às mulheres transgressoras, informou a agência em seu site.

Fromme disse ao seu advogado de defesa que pretendia atacar Ford porque ela "queria chamar atenção para um novo julgamento" para Manson e integrantes de seu grupo.

Fromme escreveu a Manson da prisão em Alderson, Virgínia Ocidental, onde ela escapou em 1987 antes de ser recapturada pelos agentes federais.

(Reportagem de Chris Baltimore)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.