Mulher morre após dois anos de espera por cirurgia no Distrito Federal

Uma paciente que esperava havia dois anos por uma cirurgia de redução de estômago morreu na quarta-feira, em Brasília, de parada cardíaca causada pela obesidade. Vânia Jacinto, de 41 anos, tinha 300 quilos e sofria de asma, problemas no coração e respiratórios por causa do excesso de peso.

Agência Estado |

A cirurgia foi indicada para Vânia pelos próprios médicos do Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, apesar de estar na fila da cirurgia durante dois anos, o peso excessivo da paciente não permitiria que a cirurgia fosse realizada imediatamente, pois havia um alto risco cirúrgico.

Antes de estarem aptos para a operação, os pacientes precisam passar por um período de dois anos de dietas, acompanhamento psicológico e exercícios físicos. Esse período pode ser encurtado caso haja risco de vida para o paciente e não haja risco cirúrgico.

O governo federal oferece a cirurgia gratuita desde 2001, mas apenas em 2005 foi ampliado o atendimento. Ainda assim, hoje, apenas 53 hospitais do País estão autorizados a realizá-las.

No Distrito Federal, apenas o Hospital Universitário de Brasília (HUB) está credenciado para fazer a operação e a fila hoje já chega a 200 pessoas prontas para serem operadas, ou seja, que já passaram pelos tratamentos necessários. A fila total no DF alcança 650 pessoas.

Leia mais sobre cirurgia de redução de estômago

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG