Mulher é presa com dois quilos de drogas em barriga postiça no Rio Grande do Norte

A Policia Federal no Rio Grande do Norte prendeu em flagrante neste domingo uma diarista acreana, de 41 anos, e uma natalense, sem profissão definida, de 27 anos, com 2 kg de cocaína. Uma delas carregava a droga em uma barriga postiça.

Redação |

A polícia afirma que elas chegaram ao estado através do aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim, região metropolitana de Natal, vindas de Rio Branco, trazendo a droga.

Os policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) investigavam uma informação de que uma mulher conhecida como Morena, teria viajado para o Acre com o objetivo de adquirir drogas para serem distribuídas nesta capital.

Reprodução
Barriga portiça com dois quilos de cocaina
Barriga portiça com cocaina

A PF então repassou os dados e pediu ajuda aos federais do aeroporto de Rio Branco que logo descobriram que a suspeita havia embarcado de volta ao RN, na tarde do último sábado, na companhia de uma outra mulher.

Tão logo chegaram, sem saber que estavam sendo observadas, elas pegaram conduções diferentes, sendo que Morena foi abordada ainda no estacionamento do aeroporto e a acreana passou a ser seguida pelas ruas de Natal, ocasião em que se deslocou até a uma sanduicheria nas proximidades do Estádio Machadão e ali permaneceu sozinha numa mesa, falando constantemente ao celular, sem que ninguém fosse ao seu encontro.

Cerca de uma hora depois, no momento em que deixava o estabelecimento e acenava para um táxi, houve a abordagem, quando os policiais lhe deram voz de prisão ao perceber que ela tinha uma barriga postiça envolta de sacos plásticos contendo cocaína e atados ao corpo através de fita adesiva.

Conduzidas para a Superintendência da PF, onde permanecem custodiadas à disposição da Justiça, autuadas nos artigos 33 e 35 da Lei 11.343/06, as mulheres inicialmente negaram se conhecer, porém depois que documentos pessoais da diarista, esquecidos durante a viagem, foram encontrados na bolsa da natalense, resolveram colaborar.

De acordo com o polícia, Morena declarou que foi contratada por um homem, cujo nome desconhece, para viajar até capital acreana. Chegando ao destino, foi levada a uma casa onde recebeu ordem para camuflar a droga enrolandoa na barriga de uma moradora. Em seguida, ambas embarcaram num vôo com destino a Natal e quando aqui chegaram, por razões de segurança, resolveram se separar ainda no aeroporto.

A polícia afirma que a diarista confessou que esta era a segunda viagem que fazia para o Rio Grande do Norte trazendo droga e que também nunca conheceu pessoalmente quem lhe contratou, sendo sempre recebida por intermediários que lhe pagavam R$ 2.000,00 pelo transporte do entorpecente.

Leis mais sobre: drogas

    Leia tudo sobre: drogaspolíciapolícia federal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG