Brasil atinge maior taxa de divórcio desde 1984, diz IBGE" / Brasil atinge maior taxa de divórcio desde 1984, diz IBGE" /

Mulher consegue se divorciar em 15 dias em São Paulo

SÃO PAULO ¿ Depois de três anos de casamento, a relações públicas Ana Céli Cortez decidiu se divorciar. Tudo o que ela menos queria era enfrentar um processo arrastado, burocracias, e muito menos o banco frio de um fórum. Mas as coisas se resolveram da maneira mais simples possível, dentro do escritório do advogado. Ela não precisou nem comparecer ao cartório. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/12/04/brasil_atinge_maior_taxa_de_divorcio_desde_1984_diz_ibge_3104953.html target=_topBrasil atinge maior taxa de divórcio desde 1984, diz IBGE

Marina Morena Costa, repórter do Último Segundo |

Acordo Ortográfico

Eu e meu ex-marido optamos por uma separação consensual e escolhemos um advogado para nos representar. Depois de 15 dias comparecemos ao escritório dele para assinar o divórcio, na presença de testemunhas e de um representante do cartório, conta Ana. Dizem que é mais fácil casar do que descasar, mas, no meu caso, não foi complicado, diz.

- Divulgação
O divórcio de Ana saiu em 15 dias
Cortez atribui a rapidez do processo ao fato de não ter bens para partilhar nem filhos. Mas, segundo a advogada especializada em direito de família, Rose Ângela Alonso, desde que haja acordo entre ambas as partes, qualquer divórcio pode sair em até um mês. Se o cartório for rápido, não tiver muitos processos acumulados, a declaração pode ficar pronta em uma semana, afirma a advogada.

O preço para realizar um divórcio, porém, continua salgado. A tabela da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) estipula um valor mínimo de R$ 1.666,33 para os honorários do advogado responsável pelo processo. Além disso, há as taxas estipuladas pelo cartório. Em São Paulo, as taxas custam cerca de R$ 240, conta Alonso.

Mudança na sociedade

O divórcio de Ana Cortez aconteceu em fevereiro de 2007, o que a inclui nas estatísticas divulgadas pelo IBGE, nesta quinta-feira: o País registrou no ano passado a maior taxa de divórcios desde que o procedimento foi instituído, em 1984. Hoje, há 1,49 divórcio por mil habitantes. Foi registrada uma separação para cada quatro casamentos civis realizados.

Os técnicos do IBGE atribuíram o aumento de divórcios à desburocratização dos procedimentos para a separação e a uma mudança no comportamento da sociedade. Segundo a advogada Rose Alonso, os brasileiros estão acordando para a Justiça. Hoje o cidadão procura por seus direitos, regulariza sua situação, não tem mais aversão aos processos judiciários, afirma a advogada.

Na avaliação de Alonso, a mudança de postura da sociedade responde aos incentivos governamentais por cidadania, como isenção de taxas para pessoas carentes, casamentos coletivos e mutirões para regularizar documentos. Aos poucos, a relação com a Justiça começa a mudar, as pessoas passam a buscar a formalização, avalia.

Para Ana, menos burocracia significa menor desgaste emocional: O momento da separação já é tão complicado, então a facilidade e a rapidez ajudam a questão psicológica. Você assina o papel e retoma a sua vida com a certeza de ter o assunto definitivamente resolvido, afirma.

Leia também:

Leia mais sobre: registro civil

    Leia tudo sobre: divórcioibgepesquisaregistro civil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG