Levantamento revela também que o cigarro tem forte impacto no orçamento doméstico

selo

Dados da Pesquisa Especial de Tabagismo, divulgada hoje na sede do Instituto Nacional de Câncer (Inca), mostram que atualmente há cerca de 25 milhões de fumantes no País. E as mulheres começam a fumar mais cedo que os homens - a proporção de jovens do sexo feminino que fumam antes dos 15 anos de idade é 22% maior do que a dos homens em todas as Regiões brasileiras. Mas elas também deixam o hábito numa proporção duas vezes maior do que os homens.

A pesquisa é uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e foi divulgada para marcar a data de ontem, Dia Nacional de Combate ao Fumo. 

"O Brasil mostra compromisso forte com o controle do tabaco. Houve uma redução da prevalência de 34,8% da população (em 1989), para 17,2%. Isso não é frequente nos países do mundo. O Brasil é um exemplo para o mundo", afirmou Alfonso Tenorio-Gnecco, gerente de Prevenção e Controle de Doenças e Desenvolvimento Sustentável da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que acompanhou a divulgação dos dados.

O levantamento revela também que o cigarro tem forte impacto no orçamento doméstico. Uma família composta por um casal de fumantes entre 45 e 64 anos e residente em uma cidade do Sudeste do País gasta, por mês, somente com a compra de cigarros, R$ 128,60.

Por ano, a despesa chega a R$ 1.543,20 (valores de 2008). O valor gasto pelo casal do Sudeste com cigarro seria suficiente para comprar hoje, agosto de 2010, uma TV de LCD de 32 polegadas (R$ 1.469,00 preço médio), um computador (R$ 1.300,00), ou uma geladeira duplex (R$ 1.400,00).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.