O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, sugeriu hoje, na reunião plena do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), o chamado Conselhão, que se crie uma estrutura de governança com autonomia para cobrar do governo respostas às sugestões apresentadas nas reuniões do colegiado. Essa estrutura, que seria composta por integrantes do próprio Conselhão e eleitos especialmente para isso, teria o papel de promover uma interlocução mais freqüente com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com o governo, nos moldes do Conselho Político, formado pelos dirigentes dos 11 partidos da base governista e convocado com freqüência pelo presidente da República para dar sugestões em questões de relevância política.

"Sugiro criar um grupo de governança menor - como ocorre com os líderes do Congresso -, um grupo que deveria se reunir mais e ser mais ouvido, ser uma ferramenta de trabalho", explicou Múcio, em discurso na abertura da reunião do CDES, a primeira do ano.

Sua sugestão teve apoio do presidente da Associação Brasileira de Infra-Estrutura e Indústrias de Base (Abdib), Paulo Godoy, que destacou que o Brasil não pode se acomodar e achar que está tudo resolvido por estar vivendo um ciclo de crescimento. O empresário Jorge Gerdau Johannpeter, do grupo Gerdau, acrescentou: "Uma estrutura de governança vai propiciar maior interlocução e interação." Gerdau disse também que a formação do grupo proposto por Múcio deve refletir o conceito de diversidade existente no "Conselhão".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.