BRASÍLIA - O ministro das relações institucionais, José Múcio, admitiu nesta terça-feira a possibilidade do governo retirar do Congresso a medida provisória (MP) 446, que renova os certificados de entidades filantrópicas que aguardam julgamento no Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS). Apesar da hipótese, Múcio disse que antes vai tentar convencer os líderes partidários sobre a necessidade da MP.

Acordo Ortográfico

"Não é recuar [com a MP], temos que nos adequar à vontade de acertar rápido com a vontade da Casa em dar celeridade ao problema. Nada está descartado na democracia. Alguns pediram para retirar, mas vamos ponderar, mostrar a necessidade", disse.

Desde sua edição, no dia 10, a MP vem causando problemas para a base aliada na Câmara e no Senado. O PSOL, que apelidou a medida de MP da Pilantropia, afirma que vai ingressar com uma ação no Supremo contra a matéria. Até mesmo o presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), comentou que vai criar dificuldades para a aprovação da matéria na Casa.

Caso não seja retirada, a MP precisa ser votada na Câmara, onde a base governista tem ampla maioria, antes de ir para o Senado, onde há um maior equilíbrio de forças.

Leia mais sobre: filantropia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.