Quadrilha presa pela PF era chefiada por irmãos de classe média

Grupo foi desarticulado nesta quarta em Mato Grosso e era especializado em roubar bancos e cargas de caminhões

Helson França, iG Mato Grosso |

Uma quadrilha especializada em assaltar bancos, caixas eletrônicos e em roubar caminhões e cargas foi desarticulada na manhã desta quarta-feira pela Polícia Federal em Mato Grosso. O grupo era liderado por três irmãos de classe média e contavam com o apoio de dois policiais militares. A finalidade da quadrilha era de arrecadar fundos para o tráfico de drogas.

Além deles, outras nove pessoas foram presas na operação denominada “Balista”, em alusão a uma arma de guerra do período medieval, que atirava dardos para diversas direções contra os inimigos. O nome faz referência à variedade das ações criminosas praticadas pelo grupo. A Polícia Federal não divulgou o nome completo dos envolvidos.

Conforme as investigações da Polícia Federal, a organização criminosa agia de acordo com a escala de plantões do 4º Batalhão da PM de Várzea Grande. Os dois policiais que foram presos ficavam responsáveis pela segurança do grupo e, enquanto aconteciam os roubos, repassavam informações privilegiadas sobre o policiamento ostensivo, nas cidades de Cuiabá e na vizinha Várzea Grande.

Na casa de um policial militar as autoridades apreenderam 1 quilo de uma substância semelhante à maconha ou pasta base, um revólver calibre 38,  um saco plástico com substância aparentando ser crack e R$ 8 mil em espécie.

A investigação

A Polícia Federal informou que chegou a um dos irmãos após investigações de tráfico de drogas e roubo de caminhões, que eram trocados na Bolívia por entorpecentes.

Segundo a PF, a quadrilha possuía vários ramos de atuação. O bando está envolvido em pelo menos 14 casos diferentes. Entre eles, a apreensão de medicamentos sem nota fiscal ocorrida em fevereiro, em Várzea Grande. Avaliada em mais de R$ 470 mil, a carga continha milhares de medicamentos que haviam sido roubados ou furtados.

“Um dos fornecedores desses medicamentos foi uma pessoa que foi presa hoje também, na cidade de Sorocaba (SP)”, informou o delegado Fernando Salomão.

A Polícia Federal suspeita que um dos presos na operação tenha comandado o assalto à Secretaria de Planejamento (Seplan), ocorrido na manhã de terça-feira (05). Na ocasião, cinco homens armados e vestidos com uniforme da Polícia Militar invadiram o local e levaram cerca de R$ 400 mil.

Na operação de hoje, os policiais federais apreenderam três carros (Honda Civic, Fox e uma Frontier), duas motos (sendo uma Honda Fireblade ), US$ 15 mil, R$ 12 mil, duas armas e aproximadamente 3,5 quilos de entorpecentes (maconha, cocaína base, maconha e crack).

    Leia tudo sobre: Mato Grossopolícia federalCuiabáVarzea Grande

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG