Paladino diz que não havia problemas antes de colisão com voo da Gol

Tragédia em 2006 terminou com a morte de 154 pessoas, todas passageiras do avião da Gol

Helson França, iG Mato Grosso | |

O piloto norte-americano Jan Paul Paladino, um dos pilotos do jato Legacy que se chocou com o avião da empresa Gol, em setembro de 2006, negou que tivesse ligado o sistema anticolisão (transponder) somente após o acidente. Na ocasião, todos os 154 passageiros do avião da Gol morreram. Paladino também disse que outros equipamentos do jato não apresentaram falhas durante o voo. 

Ele prestou depoimento por videoconferência, do consulado brasileiro, em Washington (EUA). O juiz federal Murilo Mendes, de Sinop (MT), acompanhou tudo do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) do Ministério da Justiça, em Brasília. 

AE
Videoconferência com o piloto norte-americano Jan Paul Paladino em Brasília
Paladino também revelou que, na ocasião do acidente, era a primeira vez que pilotava um jato Legacy. Até então, ele disse ter pilotado outras aeronaves semelhantes. 

O depoimento de Paladino contraria o que os controladores de voo Jomarcelo Fernandes dos Santos e Lucivando Tirbúrcio Alencar disseram nesta terça-feira . Eles afirmaram que o transponder do Legacy só passou a emitir sinal depois da colisão. 

Da mesma forma como Paladino foi ouvido hoje, Joseph Lepore, o outro piloto que estava no jato, será ouvido nesta quinta-feira. A sessão está programada para iniciar 12h (horário de Brasília). Atualmente, Paladino trabalha na companhia American Airlines, e Lepore continua na empresa de táxi aéreo ExcelAire, proprietária do Legacy. 

Para o assistente de acusação Dante D’aquino, que atua no processo contra os pilotos, a responsabilidade maior pelo acidente é deles. “Eles foram imperitos e negligentes. Os controladores não foram determinantes para o acidente”, disse. 

A Associação de Familiares e Amigos das Vítimas do Voo 1907 fez na tarde de hoje manifestações em Brasília e nas cidades de Porto Alegre e São Paulo. Com muitas faixas e cartazes, o manifesto era pela condenação dos pilotos norte-americanos. 

No último dia 20, durante a passagem do presidente dos Estados Unidos Barack Obama, pelo hotel Marriot, no Rio de Janeiro, parentes das vítimas também protestaram. 

O acidente aconteceu no dia 29 de setembro de 2006, no espaço aéreo de Mato Grosso. Os destroços do avião da Gol caíram numa região da floresta amazônica, a cerca de 200 quilômetros do município de Peixoto do Azevedo. Após a colisão, Paladino e Lepore conseguiram pousar o jato numa base aérea mato-grossense. 

    Leia tudo sobre: gollegacydepoimentoacidenteJan Paul Paladino

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG