O juiz da 2ª vara de Justiça da Comarca de Peixoto de Azevedo (MT) Tiago de Souza Nogueira de Abreu determinou que os pilotos norte-americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino deposite judicialmente a quantia de R$ 300 mil a título de caução, por vítima, como forma de garantir eventual pagamento de indenizações por danos morais e patrimoniais a familiares de vítimas do acidente aéreo entre o jato Legacy e um Boeing da empresa Gol Linhas Aéreas, em setembro de 2006. A decisão é válida para as quatro ações que correm na comarca de Peixoto de Azevedo.

O valor deverá ser "dividido" entre os réus, segundo informou o juiz.

Além dos pilotos, ficam também obrigadas a efetuar o depósito as empresas Raytheon Company, fabricante do software de controle aéreo; Lockheed Martin, que produz turbinas; Excelaire Service e Honeywell International, que fabricam o transponder (aparelho que envia e recebe sinais para outros aviões e torre de controle); Aviation Communicatios & Surveillance Systems e Amazon Technologies Company.

Isso significa, segundo o advogado Arruda Sampaio, que os réus só poderão, a partir de agora, fazer suas defesa depois de efetuarem os depósitos. Os valores devem ser depositados no prazo máximo de 30 dias após a notificação dos representantes das empresas e dos dois pilotos, na conta única do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

No dia 29 de setembro de 2006, o avião da empresa Gol fazia voo 1907, de Manaus a Brasília, quando se chocou com o jato executivo Legacy, que seguia de São José dos Campos (SP). A 37 mil pés de altitude, no estado de Mato Grosso, próximo ao município de Peixoto de Azevedo, a ponta da asa esquerda do Legacy colidiu com o Boeing provocando a queda da aeronave da Gol que levava 154 pessoas a bordo. Todas morreram.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.