MST promete desocupar fazenda Jabuticaba amanhã

Os integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) prometeram desocupar amanhã a Fazenda Jabuticaba, em São Joaquim do Monte, região onde ocorreu o conflito que deixou quatro seguranças mortos no último dia 21. Segundo o MST, cerca de 80 famílias estão acampadas na fazenda.

Agência Estado |

Em acordo fechado hoje, o MST aceitou sair do local em troca da autorização dos proprietários da fazenda para uma medição da propriedade pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A medição - a ser iniciada com suporte de GPS na segunda-feira, acompanhada pelos sem-terra e fazendeiros - deverá por um ponto final à divergência em relação à área. O MST afirma que a fazenda tem mais de 800 hectares e é improdutiva. Os donos dizem que, conforme registro em cartório, a área possui 247 hectares.

O acordo de desocupação ocorreu hoje em uma reunião na sede do Ministério Público de Pernambuco, da qual participaram, além de líderes do MST, o Ouvidor Agrário Nacional, Gercino Silva Filho, os proprietários das fazendas Consulta, onde ocorreu o conflito, e Jabuticaba - ambas reivindicadas pelo movimento -, representantes da Polícia Federal, Polícia Militar, das comissões nacional e estadual de combate à violência no campo, e da Promotoria Agrária Estadual. A desocupação será acompanhada pelas comissões. O objetivo, de acordo com o Ouvidor Agrário Nacional, é o comprovar que a saída será pacífica, sem destruição de nenhum objeto. De acordo com Gercino, o MST se comprometeu a nunca mais reocupar a área - até hoje foram nove ocupações -, se comprovado que ela não chega a 525 hectares. Somente a partir dessa medida, a terra, se improdutiva, é passível de reforma agrária na região.

Já a fazenda Consulta está fora de cogitação para reforma agrária, como já havia informado o superintendente estadual do Incra, Abelardo Siqueira. A fazenda, de cerca de mil hectares, foi desmembrada pelos herdeiros em quatro partes - de cerca de 250 hectares cada - que estão regularizadas. Solano Guedes, um dos herdeiros da Jabuticaba, afirmou que, da mesma forma que a Fazenda Consulta, a propriedade está imune à reforma agrária. Ele disse não haver interesse em vendê-la ao Incra para fins de reforma agrária.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG