Cerca de 280 militantes ligados ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) ocuparam hoje, por todo o dia, a sede do Incra, no Recife, e interditaram por cerca de 20 minutos a Avenida Rosa e Silva, via movimentada do bairro dos Aflitos, na zona norte da capital, onde se localiza o órgão, provocando engarrafamento. De acordo com o coordenador do movimento na zona da mata, José Aglaílson da Silva, a manifestação visou a cobrar a vistoria de quatro áreas reivindicadas há cerca de 10 anos pelo movimento: Várzea do Una e Xixaim, no município de Moreno, Fazenda Santana, em Vitória de Santo Antão, e Fazenda Pimentel, no Cabo de Santo Agostinho.

O superintendente regional do Incra, Abelardo Siqueira, prometeu, em reunião, que ainda amanhã o órgão vai tentar notificar os proprietários visando a realizar vistoria nestas áreas. Xixaim é, segundo ele, a única das quatro propriedades invadida pelos sem-terra, que instalaram acampamento dentro do seu perímetro. Nas outras, estão acampados em áreas próximas.

Integrantes do Assentamento Chico Mendes, em São Lourenço da Mata, também engrossaram a mobilização. Eles foram cobrar o crédito fomento - recurso inicial para apoiar os agricultores assentados - que há um ano ainda não havia sido repassado. O superintendente informou que o recurso já foi liberado. Os manifestantes deixaram a sede do Incra no final do dia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.