Agindo em duas frentes ao mesmo tempo, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocupou hoje uma área da Fazenda Southall e o saguão da prefeitura de São Gabriel, no sudoeste do Rio Grande do Sul. Os sem-terra entraram na fazenda durante a madrugada e informaram que exigem a desapropriação dos 9,2 mil hectares restantes da propriedade rural.

Cinco mil hectares que integravam a mesma fazenda já foram transformados em assentamentos, depois de terem sido comprados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no fim do ano passado.

Outro parte do movimento ocupou o saguão do palácio municipal para pedir audiência com o prefeito Rossano Gonçalves (PDT), que se recusou a receber os sem-terra e pediu reintegração de posse do prédio. Gonçalves alegou já ter acolhido e encaminhado ao governo federal os pedidos de unidades de saúde e transporte escolar dos assentados há cerca de dois meses. Diante disso, sugeriu que os manifestantes deveriam bater em "outra porta". Em Porto Alegre, os integrantes da Via Campesina que estavam no pátio de acesso ao prédio da Receita Federal deixaram o local ao amanhecer, depois de 24 horas de ocupação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.