MST encerra ocupação na Bahia após reunião com governador

Integrantes do MST decidiram encerrar manifestação do Abril Vermelho depois de reunião com o governador Jaques Wagner (PT)

iG São Paulo |

Após uma reunião com o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), ocorrida na manhã desta terça-feira (19), os cerca de 3 mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que ocupavam, há oito dias, a área ao redor da Secretaria Estadual de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), decidiram, em assembleia à tarde, encerrar a manifestação.

Segundo as lideranças do movimento, as propostas do governo de instalar oito escolas e fortalecer a assistência técnica nos assentamentos e de negociar com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) mais verbas para a reforma agrária no Estado, foram positivas.

"O governador também se mostrou disposto a nos apoiar nas discussões com o governo federal para tratar dos problemas das famílias acampadas na Bahia", afirma o líder do MST no Estado, Márcio Matos. A desocupação foi iniciada no fim da tarde e deve se prolongar até amanhã.

A ocupação do MST no CAB, parte das manifestações do chamado Abril Vermelho, causou controvérsia na opinião pública por causa da decisão da Seagri de doar carne - 600 quilos por dia - e 30 banheiros químicos, além de tendas, aos sem-terra. As doações, que segundo a secretaria foram submetidas às análises do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM) e da Procuradoria-Geral do Estado, foram questionadas pelo Ministério Público Estadual.

"Instauramos um procedimento para investigar a situação", informa a promotora Rita Tourinho, do Grupo Especial de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa do MP. De acordo com ela, existe preocupação com um possível precedente que as doações possam criar. "O governo tem como função atender à população como um todo, não a um ou outro movimento".

Com AE

    Leia tudo sobre: MSTBahiaocupaçãoreforma agráriaassembleia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG