Os grupos ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e ao Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) que invadiram duas fazendas da Votorantim Celulose e Papel, em Piratini e Herval, na região sul gaúcha, já deixaram as propriedades rurais. Os agricultores entraram nas fazendas ao amanhecer e saíram quando pelotões da Brigada Militar (a Polícia Militar do Rio Grande do Sul) chegaram ao local.

Uma nota distribuída pelo MPA indicou que as duas ações fazem parte de um protesto contra o avanço do plantio de eucaliptos na região.

Ontem, outra propriedade da Votorantim sofreu com protestos. Cerca de 500 trabalhadores rurais do movimento Via Campesina invadiram o prédio do grupo no centro de São Paulo para denunciar os impactos ambientais da construção da barragem de Tijuco Alto, no Rio Ribeira de Iguape, que corta os Estados de São Paulo e Paraná. Eles foram retirados do prédio após 40 minutos de ocupação, pela Policia Militar (PM).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.