MST deixa sede do Incra em Roraima após 8 horas

Depois de quase oito horas de ocupação da sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) de Roraima deixaram hoje a sede do órgão. Em reunião que durou cerca de quatro horas, Superintendência do Incra atendeu à maioria das reivindicações do MST.

Agência Estado |

Ainda neste primeiro semestre, o Incra deve aprovar projeto de construção de 26 quilômetros de estrada, orçado em R$ 1,3 milhão, para acesso ao Assentamento Jatobá, na zona rural de Cantá, a 32 quilômetros de Boa Vista.

O acordo também contemplou a desburocratização do órgão, além de cursos de formação, com ensinamento técnicas agrícolas. "Sinalizamos positivamente, mas tudo isso depende da aprovação do orçamento de R$ 58 milhões da casa para este ano, por parte do Incra nacional nesta sexta", disse o superintendente Titonho Beserra. O coordenador do MST, Ezequias David, disse que aguardará mudanças até junho. "Essas reivindicações são sobre temas emergenciais. Passado esse prazo, voltaremos a manifestar", prometeu.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG