Manifestantes ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) bloquearam hoje três rodovias no Rio Grande do Sul. Em São Luiz Gonzaga, cerca de 200 assentados interromperam a BR-285 algumas vezes durante o dia, limitando as interrupções ao tempo de 19 minutos, para lembrar os 19 sem-terra mortos no massacre de Eldorado de Carajás (PA), em 1996.

Em Piratini, as interrupções do tráfego na BR-158 foram de 30 minutos cada, intercaladas com liberações de 30 minutos. Em Júlio de Castilhos, outro grupo bloqueou a BR-158 durante uma hora no início da tarde.

As manifestações fazem parte da Jornada Nacional de Lutas do MST, conhecida como "Abril Vermelho". No Rio Grande do Sul, os sem-terra pedem o assentamento de 1,2 mil famílias, o aumento do orçamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para desapropriação de terras e a criação de uma linha de crédito específica para os assentados.

Os sem-terra querem também a reabertura das escolas itinerantes, fechadas no início do ano passado pelo governo gaúcho. Alegam, para isso, que 280 filhos de acampados estão sem aulas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.