MST acampa em Curitiba para semana de reivindicações

Cerca de mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) ficarão acampados no Ginásio do Tarumã, em Curitiba, até sexta-feira, para uma semana de manifestações e reuniões na capital paranaense. Eles repetem uma atitude que vêm tomando nos últimos anos, sempre no mês de abril, quando relembram a morte de 19 sem-terra em Eldorado dos Carajás (PA), em 1996.

Agência Estado |

O acampamento costumava ser montado na Rua Doutor Faivre, em frente à sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), mas, desta vez, optaram por outra alternativa.

Eles chegaram a Curitiba vindos de vários assentamentos e acampamentos do Estado e se reuniram na BR-277, na entrada da cidade, para um ato de abertura da Jornada de Luta pela Reforma Agrária. Depois, seguiram de ônibus até a Praça 29 de Março. De lá foram a pé até o Incra, passando por algumas das principais ruas do centro da cidade e causando muita confusão no trânsito.

Do caminhão de som, eles apresentaram algumas das principais reivindicações: assentamento de 90 mil acampados no Brasil, dos quais 5 mil no Estado do Paraná, e liberação de recursos para infraestrutura nos assentamentos. Com o tema "Lutar não é Crime", os sem-terra pretendem fazer reuniões com dirigentes do Banco do Brasil, Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e secretários estaduais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG