Tamanho do texto

O Grupo de Atuação Especial Regional para a Prevenção e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco), do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) em Santo André, no Grande ABC (SP), instalou uma investigação preliminar para verificar a autenticidade de um conjunto de supostas provas entregues anonimamente à Promotoria na quinta-feira, incriminando o reitor da Fundação de Santo André (FAS), Odair Bermelho, por fraude em notas fiscais e desvio de verba em 2004 e 2005. Segundo o promotor Roberto Wider, responsável pelo caso, a denúncia é a mais grave das mais recentes contra dirigentes de estabelecimentos de ensino superior.

"Não é apenas a utilização irregular de algum instrumento. A falsificação de notas fiscais é um crime", ressaltou. As investigações sobre a autenticidade das notas deverá ser concluída em, no máximo, 15 dias, afirmou. "As conclusões ainda são precipitadas, mas, se for confirmada a autenticidade dos documentos, Bermelho poderá ser indiciado por peculato", disse.

Cerca de 200 alunos invadiram o prédio da reitoria na sexta-feira. Os estudantes pedem que ele renuncie ao cargo. Na avaliação de Wider, a ocupação é vista com tristeza. "Problemas desse tipo não devem interferir na vida acadêmica", disse. Ele completou: "Estamos tomando as medidas legais para que tudo seja investigado, corretamente." Segundo Wider, o pedido de reintegração de posse do prédio da reitoria foi ajuizado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.