O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) entrou hoje com ação cautelar contra o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado (Apeoesp) e a Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas) para impedir que as entidades façam manifestações em vias públicas. Nas últimas três sextas-feiras, os docentes bloquearam a Avenida Paulista durante a tarde para fazer assembléias no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e causaram congestionamento de até 2,2 quilômetros.

A categoria está em greve desde o dia 16 e se reúne amanhã no mesmo local para decidir a continuidade ou não do movimento.

Os promotores de Habitação e Urbanismo, José Carlos de Freitas e Stela Tinone Kuba, pedem à Justiça que os professores só possam fazer manifestações em praças ou ocupando no máximo uma faixa da rua em que estiverem. A ação foi ajuizada na 31ª Vara de Fazenda Pública do Estado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.