MP-RJ vai apurar laço entre vereadores e vilas olímpicas

O Ministério Público do Estado do Rio decidiu abrir procedimento investigativo para apurar as ligações entre vereadores da cidade e as vilas olímpicas administradas pela prefeitura. O caso será distribuído entre um dos titulares das Promotorias de Tutela Coletiva de Direito da Cidadania, que são os responsáveis pelos inquéritos relacionados a eventuais práticas de improbidade administrativas de autoridades públicas municipais e estaduais.

Agência Estado |

O promotor que será selecionado deverá pedir explicações ao secretário municipal de Esporte e Lazer do Rio, Francisco Manoel de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira, e os sete vereadores que, segundo ele, dão "orientação política" às vilas olímpicas da cidade. Segundo ele, a Prefeitura do Rio pediu a esses políticos que indicassem nomes para ocupação de cargos administrativos e em funções como limpeza e vigilância.

Conforme mostrou o jornal O Estado de S. Paulo , em audiência pública na Câmara Municipal do Rio, Chiquinho da Mangueira revelou que os vereadores Jorge Felippe (PMDB), presidente da Câmara, Dr. Jairinho (PSC), Liliam Sá (PR), Tio Carlos (DEM), Rosa Fernandes (DEM), Jorginho da SOS (DEM) e Elton Babu (PT) são os responsáveis pela "orientação política" de seis vilas olímpicas da cidade.

As declarações foram feitas no dia 3 de novembro do ano passado, um mês após o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciar que o Rio havia sido escolhido sede dos 31ª edição do Jogos, durante debate sobre o projeto de orçamento enviado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB). A ata da sessão foi publicada no Diário Oficial da Câmara Municipal no dia 18 de novembro.

De acordo com o Ministério Público do Rio, desvios na administração de vilas olímpicas da cidade motivaram a abertura de 25 inquéritos civis nos últimos anos. Atualmente, além do procedimento que vai apurar a influência política nesses locais criados para o desenvolvimento de atividades esportivas em comunidades carentes, os promotores de tutela coletiva já investigam a contratação de cooperativas irregulares para a administração dos locais.

Chiquinho da Mangueira, que chegou a negar ter dito que havia "orientação política" nas vilas, afirmou hoje que não estava preocupado com a investigação do Ministério Público. O secretário municipal informou, via assessoria, que ele sabe que os promotores vão conferir que as vilas olímpicas estão funcionando "perfeitamente" e que os vereadores fizeram apenas indicações para cargos administrativos nos locais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG