MPF investiga morte de animais do Zoológico de Goiânia

O Ministério Público Federal (MPF) em Goiás está investigando 69 mortes de animais neste ano, entre elas as de cinco filhotes, do Zoológico de Goiânia. O bisão, uma espécie de ruminante, que morreu ontem, poucas horas depois de ser anestesiado para a realização de exames veterinários, foi o último animal a morrer no parque, segundo a assessoria do zoológico, que foi interditado no dia 20 de julho pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e não recebe mais visitantes.

Agência Estado |

O MPF aguarda a conclusão dos exames exigidos pelo Ibama quando o zoológico foi fechado, além do exame toxicológico de uma girafa, que morreu na terça-feira. Com essas informações, será possível estabelecer uma linha de atuação. De acordo com a assessoria do zoológico, cada animal teve uma causa diferente para a morte.

Na manhã de quarta-feira o MPF, o Ibama, a Delegacia do Meio Ambiente e a Direção do Zoológico se reuniram para discutir medidas emergenciais para solucionar o problema. Ficou estabelecido que o Ibama e funcionários do zoo realizarão ainda nesta semana uma vistoria para complementar Relatório Técnico que instrui o processo sobre o caso. A previsão é que na segunda-feira este estudo seja entregue ao MPF.

O resultado de todo este trabalho será a celebração de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). Será proposta à Prefeitura de Goiânia e à Direção do Zoológico a adoção de diversas medidas necessárias para garantir o bem-estar da sociedade e dos animais. A previsão é que a celebração do TAC ocorra no início do mês que vem.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG