BRASÍLIA - O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça os bolivianos Ramon Ruiz Suarez e Gualberto Borda Mendez. No dia 3 de junho, eles entraram sem autorização em território brasileiro, em um avião pequeno, com mais de 176 quilos de cocaína, e foram interceptados pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Se condenados, os bolivianos poderão cumprir penas de até 15 anos de prisão, além de pagar multa.

Na operação de interceptação por dois aviões Super Tucanos, houve a tentativa de conduzir a aeronave boliviana até o aeroclube da cidade de Cacoal, em Rondônia. Entretanto, o piloto desviou o curso e pousou em uma estrada rural da cidade de Alta Floresta do Oeste, também em Rondônia. Os tripulantes fugiram para uma mata fechada e a polícia apreendeu sete pacotes de cocaína no avião.

Dois dias depois, os bolivianos foram localizados e presos em flagrante pela Polícia Federal. Segundo a denúncia feita pela Procuradoria da República no município de Ji-Paraná, Suarez e Mendez tinham sido contratados para transportar cocaína de uma fazenda próxima a Trinidad, na Bolívia, até Rondônia.

O procurador da República Rudson Coutinho afirmou que ficou caracterizado o tráfico transnacional de drogas. Os dois denunciados confessaram os crimes e estão presos na Casa de Detenção de Pimenta Bueno, em Rondônia, onde aguardarão o julgamento.

Leia mais sobre: tráfico de drogas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.