O Ministério Público Federal (MPF) anunciou hoje que entrou com uma ação na Justiça contra dois ex-funcionários da Infraero por improbidade administrativa. O ex-superintendente Pedro Gilson Azambuja e o ex-gerente comercial Wellington Grizzi Nunes são acusados de prorrogar, sem licitação, contratos de concessão de áreas do Aeroporto Galeão, na zona norte do Rio de Janeiro.

As empresas favorecidas, a Localiza e a Cafés Finos, também foram denunciadas.

Segundo o MPF, a Localiza obteve o direito de ocupar uma área comercial no aeroporto de dezembro de 1987 a dezembro de 2002. A Café Finos, até julho de 2003. Apesar do fim dos contratos, as empresas permaneceram ocupando as áreas irregularmente. Somente em outubro de 2004, de acordo com o MPF, os dois ex-funcionários da Infraero e as empresas providenciaram um termo aditivo de prorrogação. A ação tramita na 12ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.