O Ministério Público Federal (MPF) decidiu acelerar a investigação sobre o uso de atos secretos no Senado e já abriu um inquérito sobre o caso. A decisão foi tomada pela procuradora Anna Carolina Resende.

Pela manhã, ela havia anunciado, por meio da assessoria de imprensa, que faria uma investigação preliminar para, depois, decidir pelo inquérito. Porém, optou por antecipar a instauração do procedimento.

A procuradora vai apurar a existência de mais de 300 decisões sigilosas reveladas pelo jornal O Estado de S.Paulo na semana passada, tomadas pela Casa nos últimos dez anos. Ela deve requisitar, por exemplo, o relatório da comissão de sindicância instalada pelo Senado, que analisa os boletins secretos. Anna Carolina Resende é quem investiga também a suspeita de uso irregular de passagens aéreas pelos parlamentares. Nos últimos dias, o jornal revelou que os atos secretos foram usados para nomear parentes e amigos e para criar benefícios a servidores e senadores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.