SANTA CATARINA - O governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, e a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) informaram nesta terça-feira que o governo federal vai editar uma medida provisória (MP) que vai liberar R$ 372 milhões para o Estado. A medida, segundo ele, vai ajudar o governo estadual que perdeu de 10% a 15% de suas receitas com a catástrofe natural que acometeu a região. Segundo a Defesa Civil catarinense, as chuvas causaram 123 mortes e deixaram 33.475 desalojados e desabrigados no Estado.

O governador afirmou que os recursos virão de uma antecipação de pagamento de títulos do Tesouro Nacional em posse do Estado que seriam pagos só em 2018. Ideli Salvatti explicou que os títulos estão no instituto de previdência do Estado. A antecipação de recursos será feita em quatro parcelas mensais, sendo a primeira a ser paga já em dezembro, segundo informou o governador catarinense.

A senadora explicou que o governo também discute junto ao comitê gestor do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (Simples) o adiamento do pagamento do tributo pelas empresas de Santa Catarina. Segundo ela, já há uma discussão no comitê gestor para uma prorrogação geral do recolhimento, mas a ideia é que o Estado receba antes esse benefício.

Ideli informou ainda que o governo deve editar um decreto para facilitar o acesso ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pelos moradores das regiões afetadas pelas enchentes. Segundo ela, não haverá limite de saque nem restrição para quem já sacou recursos e também será dispensada a comprovação de que a pessoa foi atingida diretamente pela crise, bastando comprovar que mora em cidade afetada.

Para Ideli, o conjunto de medidas que o governo federal fará para ajudar Santa Catarina será divulgado na sexta-feira, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai visitar a região. Lula visitará quatro cidades de Santa Catarina atingidas pelas enchentes - Blumenau, Gaspar, Ilhota e Luiz Alves.

No dia 26 de novembro, Lula apenas sobrevoou a região afetada. Após o sobrevoo, o presidente afirmou que a situação caótica no estado era uma da maiores tragédias já vistas no país.

Chuvas

Na segunda (8), a Defesa Civil alertou a população para a possibilidade de mais chuvas entre esta terça e quinta-feira (9 e 10).

De acordo com os meteorologistas, o deslocamento de um frente fria pelo Sul do Brasil deve provocar instabilidade no Estado, favorecendo a ocorrência de pancadas de chuvas de intensidade moderada e forte por alguns momentos, e também de descargas elétricas.  O volume de chuva pode variar entre 30 a 60 mm, em média, nas regiões da Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Litoral Norte. Também há risco de temporal e queda isolada de granizo.

No caso de alagamentos a Defesa Civil recomenda que a população evite o contato com as águas que podem estar contaminadas. Também é aconselhável não dirigir em lugares alagados. Moradores de áreas vulneráveis a deslizamentos precisam ficar atentos, no caso de aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e inclinações de troncos de árvores ou postes. Qualquer orientação da Defesa Civil do município deve ser atendida.

No caso de emergência a comunidade deve acionar a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, através do telefone 199.  O telefone para contato da Defesa Civil estadual é o 48 3244 0600.

Casal soterrado

Ainda neste fim de semana, um casal de idosos da cidade de Gaspar, a 140 km de Florianópolis, foi soterrado após voltar para casa. Eles haviam deixado o local depois de um desmoronamento e decidiram retornar após alguns dias. A Defesa Civil, porém, não confirma a morte deles, já que os corpos ainda não foram encontrados.

Zigfritz Taihetch, de 77 anos, e Erna Iolanda Cipriano, de 79, eram agricultores familiares e foram atingidos por um desmoronamento no bairro Belchior Baixo.

Veja também:

Leia mais sobre: Santa Catarina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.