MP suspeita de mandante no assassinato de Sendas

Insatisfeito com o andamento do inquérito policial que apura a assassinato do empresário Arthur Sendas, o Ministério Público do Rio pediu que a 14ª Delegacia de Polícia do Leblon (zona sul) uma investigação para identificar quem foi o mandante do homicídio ocorrido em outubro. Há sérios indícios que apontam a existência de um mandante neste crime.

Agência Estado |

O laudo pericial afastou completamente a hipótese de disparo acidental e a história do assassino não confere. Não podemos apontar nomes ou supostas motivações, mas há suspeitas sobre familiares e pessoas com quem o empresário teve relações de negócios", afirmou o promotor Marcos Kac.

Agentes da 14ª DP informaram que a investigação está em andamento. Sendas foi morto em casa pelo motorista particular de seu neto, Roberto Costa Júnior, de 28 anos, que está preso e responde por homicídio doloso (com a intenção de matar). No entanto, a versão de Costa Júnior, que alega ter ido à casa do patrão discutir sobre um possível demissão e ter disparado acidentalmente, é contestada por amigos e advogados da família Sendas. Segundo eles, ao contrário do que o criminoso informou, ele não seria demitido após a ida do neto do empresário para os Estados Unidos.

Hoje começou a funcionar o serviço de disque-denúncia dos amigos do empresário. Eles publicaram anúncios no domingo em jornais do Rio oferecendo R$ 50 mil à pessoa que fornecer a identificação e a responsabilização do mandante do homicídio.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG