MP pede suspensão de venda de brinquedos em lanchonetes

SÃO PAULO (Reuters) - Acusando a venda de brinquedos com lanches em redes de fast-food de levar crianças a criar maus hábitos alimentares, um procurador entrou com uma ação nesta segunda-feira pedindo a suspensão de tais promoções em todo o país nas redes que incluem o McDonalds e Burger King. O pedido foi feito em meio à preocupação global sobre a ligação entre fast-food e doenças como a diabetes e enquanto o Congresso norte-americano considera exigir que as redes de restaurantes exibam a quantidade de calorias em seus cardápios para ajudar a combater a obesidade endêmica.

Reuters |

O procurador Marcio Schusterschitz, do Ministério Público Federal em São Paulo, disse que as promoções com brinquedos levam crianças a comprarem alimentos altamente gordurosos pela "criação abusiva de associações emocionais" que as transformam em adultos consumidores de alimentos gordurosos.

Um juiz deve primeiro decidir se levará adiante ou não o processo contra a venda de brinquedos e refeições que incluem hamburgueres ou nuggets de frango, batatas-fritas e refrigerantes feita pelo McDonald's, Burger King e Bob's.

"É preciso remover os brinquedos que são usados para alavancar a venda de comida que tem pouco valor nutricional", disse o pedido. "As (refeições) oferecidas são promovidas com o objetivo claro de aumentar o consumo juvenil de fast-food".

Um porta-voz do procurador disse que tentativas anteriores de regular os brindes em restaurante de fast-food, incluindo a venda separada dos brinquedos, reduziu o marketing das redes.

A Reuters não conseguiu contato com representantes das redes para comentar o processo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG