MP enviará documentos sobre máfia dos parasitas ao TJ

Os documentos obtidos pelo Estado que indicam, na visão dos promotores, doações ilegais feitas pela Home Care Medical Ltda., a principal empresa suspeita de envolvimento em fraudes de R$ 100 milhões em contratos de material e serviços hospitalares, foram apreendidos pela polícia em 30 de outubro, na Operação Parasitas, na sede da Home Care, em Guarulhos.

Agência Estado |

O Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, deve enviá-los ao Tribunal de Justiça de São Paulo e à Justiça Eleitoral, que têm a competência de apurar crimes eleitorais e delitos cometidos por prefeitos.

Os controladores da Home Care, empresários Renato Pereira Júnior e Marcos Agostinho Paioli Cardoso, estão presos. Segundo o advogado Roberto Podval, eles negaram as supostas doações ilegais a candidatos a prefeito e supostas fraudes nas licitações na área da Saúde. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG