O Ministério Público Estadual do Mato Grosso (MP-MT) ofereceu hoje denúncia contra três professoras envolvidas na elaboração das provas do concurso público do governo do Estado organizado pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). As servidoras Geisa Atala Gomes Curvo, Renilce Miranda Cebalho Barbosa e Sandra Raquel de Almeida Cabral foram denunciadas por violação de sigilo funcional.

A pena prevista para esse tipo de crime varia de dois a seis anos de reclusão e multa.

Com 271 mil inscritos para 10.086 vagas, o concurso público foi cancelado no dia 22 de novembro por suspeita de fraudes e falhas na organização. As novas provas foram divididas em três etapas: a primeira em 31 de janeiro, a segunda em 21 de fevereiro e a terceira no dia 21 de março.

De acordo com a denúncia do MP, entre os meses de setembro e novembro de 2009, por diversas ocasiões, as servidoras revelaram fatos sigilosos relacionados ao concurso público. "Na perícia, foi constatado que os computadores e pen drives particulares das servidoras Renilce Miranda Cebalho Barbosa e Geisa Atala Gomes Curvo continham questões e atalhos referentes às provas com respostas e justificativas."

O MP ressaltou que a conduta criminosa das denunciadas resultou "em inestimáveis danos materiais e morais à administração pública, obrigando o Estado a contratar outras entidades para a reformulação, aplicação e impressão das provas, além de denegrir a imagem do Estado perante milhares de candidatos". A denúncia é de autoria dos promotores de Justiça Januária Dorilêo Bulhões, Samuel Frungilo e Luciano Freiria de Oliveira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.