MP denuncia quadrilha de empresários e policiais em PE

Policiais rodoviários e empresários são suspeitos de cobrar propina para que caminhões de empresas não fossem fiscalizados

AE |

Vinte policiais rodoviários federais de Pernambuco estão na mira do Ministério Público Federal  do Estado sob acusação de vários crimes, entre eles formação de quadrilha e corrupção ativa. Os alvos das investigações são agentes das delegacias da região metropolitana do Recife, de Ribeirão e de Moreno, e dos postos de Gravatá, Cabo de Santo Agostinho e Contorno (Ceasa).

Segundo os promotores, os denunciados estão envolvidos com o recebimento periódico de propinas pagas por empresas de maior porte para que seus caminhões trafegassem livremente pelas rodovias sem qualquer fiscalização. Também praticavam, de acordo com a denúncia, cobrança permanente e sistemática de pequenos valores ou produtos alimentícios sob o pretexto de desconsiderar a violação de algumas regras de trânsito.

Dos 20 denunciados, quatro já estão presos preventivamente, desde o mês passado, quando foi deflagrada a chamada Operação Boa Viagem. Os demais foram afastados da função de patrulhamento. Segundo a polícia, também estão sendo investigadas outras 23 pessoas, na maioria, empresários do setor de transporte, que ofereceram vantagens indevidas aos policiais.

As investigações demonstram ainda que os suspeitos estruturaram um sistema de cobrança de "pedágio" do qual todos se beneficiavam. Eles dariam cobertura uns aos outros. Cada um se abstinha de fiscalizar e multar as empresas e motoristas "protegidos" dos demais. Um dos beneficiados distribuía "vales-tocos" aos seus motoristas como garantia de que os veículos seriam liberados sem qualquer problema mediante a apresentação do "documento" aos policiais.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG