O policial civil C.R.

L, de 38 anos, foi denunciado pelo Ministério Público Federal, em Jales, no interior de São Paulo, por disponibilizar na internet arquivos contendo imagens e fotografias de pornografia e sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes. Segundo o MPF, o acusado utilizava o programa de compartilhamento de arquivos pela internet e-Mule para cometer o crime. As provas foram apreendidas na residência do denunciado, durante a Operação Carrossel. No local foram encontrados um HD e dois CDs, em dezembro de 2007. O denunciado declarou que era o único usuário do computador e que tinha o costume de baixar arquivos de pornografia.

Após a análise pericial realizada no computador de C.R.L., foram encontrados arquivos contendo vídeos com pornografia e sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes, bem como arquivos de fotos em miniatura com o mesmo conteúdo. O registro de compartilhamento de muitos desses arquivos também foram constatados. Foi constatado também que o denunciado fazia pesquisas utilizando termos que se referiam aos arquivos de pornografia infanto-juvenil disponibilizados no e-Mule.

Esses termos, segundo o MP, são comuns em nomes de arquivos que contenham pornografia infanto-juvenil e costumam se referir à idade da criança presente no vídeo. Além da denúncia, o MP pediu o afastamento do acusado de funções, na Polícia Civil, que envolvam atendimento ao público, em razão da gravidade do crime. Se condenado, C.R.L. pode até perder o cargo público.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.