MP das dívidas geraria perda mensal de R$500 mi, diz Fontana

BRASÍLIA (Reuters) - A medida provisória 449, que anistia dívidas e refinancia débitos com a Receita Federal, pode gerar uma redução de até 500 milhões de reais por mês na arrecadação federal, se aprovada com as modificações feitas pelo Senado. A estimativa foi divulgada a jornalistas pelo líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), nesta quarta-feira.

Reuters |

O governo quer recolocar uma trava prevista inicialmente na medida provisória e retirada pelo Senado. O mecanismo impede que o valor das parcelas das dívidas renegociadas seja inferior a 85 por cento das parcelas originais dos débitos.

"O governo quer, sim, votar a medida provisória. O governo não desistiu de votar a MP. Ainda vamos tentar acordo com as lideranças", disse Fontana a jornalistas, após especulações da oposição de que o Executivo poderia desistir da medida em função das alterações.

Inicialmente, o governo pretendia apenas anistiar dívidas de 10 mil reais com a Receita, contraídas até 2002. Deputados e senadores, no entanto, incluíram alterações que prevêem refinanciamento de débitos não previsto no texto original.

Como não houve acordo sobre o assunto na Câmara, a votação da medida foi adiada. Editada em dezembro, a MP perde a eficácia no dia 13. Depois de passar pelo Senado na semana passada, a MP retornou à Câmara em função das modificações.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG