Sem-terra interditam pista da Dutra, no Rio" / Sem-terra interditam pista da Dutra, no Rio" /

Movimento dos Sem-Terra promove invasões em oito Estados e no Distrito Federal

Às vésperas de mais um aniversário do massacre de 19 trabalhadores rurais em Eldorado do Carajás, no Pará, o Movimento dos Sem-Terra (MST) intensificou, nesta quarta-feira, as ocupações de fazendas e repartições públicas em todo o País por causa do chamado Abril Vermelho. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/04/16/sem_terra_interditam_pista_da_dutra_no_rio_1274590.htmlSem-terra interditam pista da Dutra, no Rio

Redação com agências |

Os manifestantes, que realizam ocupações em oito Estados e no Distrito Federal, exigem o assentamento das 150 mil famílias acampadas no País e investimentos públicos na produção agrícola e habitação em assentamentos.

Agência Brasil
Entre os lugares invadidos estão uma fazenda do deputado federal Clodovil Hernandes (PR-SP), localizada no Estado de Goiás, uma agência da Caixa Econômica Federal em Brasília e as sedes do Ministério da Fazenda e da secretaria de Agricultura de Porto Alegre.

Os manifestantes exigem recursos da Caixa para a construção e reforma ainda este ano de mais de 100 mil casas destinadas a trabalhadores rurais já assentados.

Outro grupo bloqueou esta manhã a Via Dutra, que liga o Rio de Janeiro a São Paulo, e chegou a provocar um engarrafamento de 5 quilômetros antes de ser expulso pela polícia.

"A reforma agrária está parada no País por causa de uma política econômica que beneficia as empresas do agronegócio, concentra terras e recursos públicos na produção de monoculturas para a exportação", disse José de Oliveira, integrante da coordenação nacional do MST ao justificar os protestos.

Agência Brasil
"O governo precisa apoiar a pequena produção agrícola para fortalecer o mercado interno, garantir a produção de alimentos para a população e preservar o meio ambiente", acrescentou.

Segundo o balanço divulgado nesta quarta-feira pelo MST, com a ocupação da fazenda de Clodovil, os integrantes do grupo, que diz representar cinco milhões de trabalhadores que lutam pela reforma agrária, aumentaram para 35 o total das propriedades rurais invadidas este mês.

Deste total, 27 estão localizadas em Pernambuco, Goiás, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Alagoas, Rio Grande do Norte e Roraima.

Na fazenda ocupada em São Paulo, de propriedade da AmBev, os militantes do MST derrubaram parte de uma plantação de eucalipto para supostamente substituí-la por uma de alimentos.

"Abril Vermelho"

O movimento realiza o "Abril Vermelho" todos os anos para lembrar a morte de 19 integrantes do MST em Eldorado do Carajás, no Pará, em 17 de abril de 1996.

O massacre, ainda impune, ocorreu quando a polícia recebeu ordens para desbloquear uma estrada na qual os sem-terra tinham montado barreiras para exigirem a desapropriação de uma fazenda vizinha.

"Após 12 anos do massacre no Pará, que matou 19 trabalhadores rurais e deixou centenas de feridos e 69 mutilados, ainda estão livres os 155 policiais que participaram da operação", alega Sobrinho.

(*com informações das agências Estado e Efe)

Leia mais sobre o MST

    Leia tudo sobre: mst

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG