Motorista que agrediu pedestre com barra de ferro na cabeça no Rio vai a júri

RIO DE JANEIRO - O motorista Itamar Campos Paiva, que em maio do ano passado atingiu a cabeça do gerente de compras André Luiz Reuter Lima com uma barra de ferro, durante uma briga de trânsito, vai a júri popular nesta quarta-feira. Acusado de tentativa de homicídio, Itamar vai ser julgado no 2º Tribunal do Júri da capital, no centro. A sessão será presidida pelo juiz Paulo de Oliveira Lanzzelloti Baldez.

Redação |

O crime ocorreu na noite de 23 de maio, na rua Almirante Cochrane, na Tijuca, zona norte do Rio . De acordo com os depoimentos, André Luiz saía de uma pizzaria com os filhos de 13 e 14 anos e um amigo dos adolescentes, quando o grupo quase foi atropelado pela Fiat Uno de Itamar que avançara o sinal.

André teria reclamado da atitude do motorista, que não gostou e tentou atropelar novamente os pedestres. Segundo testemunhas, após uma discussão, o agressor desceu do carro e desferiu um golpe com uma barra de ferro na cabeça da vítima. Depois da agressão, o motorista fugiu em alta velocidade, mas a placa do carro foi anotada e a polícia conseguiu identificá-lo.

Quatro dias depois, Itamar se apresentou à polícia acompanhado do advogado . Em seu depoimento, o motorista alegou legítima defesa . "Na versão do acusado, ele avançou o sinal amarelo, foi xingado, perseguido e a vítima deu chutes em seu carro. Ao sair do veículo, ele levou um soco na boca e se defendeu golpeando a vítima na cabeça", disse na época o titular da 19ª DP (Tijuca), Walter Alves de Oliveira.

No entanto, o delegado ressaltou que a versão do motorista não combinou com os depoimentos dos filhos da vítima que presenciaram a agressão. "Eles contaram que o agressor deu ré duas vezes tentando atropelar o grupo após ser xingado de 'palhaço'. Em seguida, saiu do carro com a barra de ferro e agrediu o pai deles", revelou.

O gerente de compras André Luiz Reuter Lima sofreu afundamento do crânio, tendo sido operado e ficado em coma . Em agosto do ano passado, a vítima teve alta, mas continua o tratamento em casa . De acordo com a equipe médica do Hospital Pasteur, onde André ficou internado, o gerente de compras não apresenta sequelas neurológicas, apenas um déficit motor do lado esquerdo que dificulta os movimentos dos membros.

Itamar está preso preventivamente na Polinter do Grajaú. Durante o processo, ele chegou a ficar internado no Hospital Psiquiátrico Heitor Carrilho. O motorista já tinha quatro passagens pela polícia por agressão.

*com informações da Agência Estado

Leia mais sobre: agressão com barra de ferro

    Leia tudo sobre: agressãobrigamotoristariorio de janeiroviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG