Motorista grava telefonema de falso sequestro da filha

Ouça a conversa entre o criminoso e o pai da menina de 7 anos

iG São Paulo |

Apesar de ter deixado a filha Sabrina, de 7 anos, na escola, uma ligação telefônica no meio do expediente fez um motorista, que prefere não ter o nome divulgado, duvidar se a menina havia de fato entrado pelo portão. Ele acabava de cair no golpe do falso sequestro.

Tentando não demonstrar pânico, gravou ameaças recebidas do bem articulado Marcelo Andrade com alguém ao fundo que simulava choro de uma criança. Mesmo dizendo-se tio da menina, o motorista admite ter cometido erro. “Ainda estava tentando decifrar porque parecia a voz da minha filha e acabei falando o nome dela.” Foi a chave para o suposto Marcelo Andrade subir o tom de suas ameaças e descrever o hipotético “momento da ação”.

“Ela foi vítima de um assalto e me garantiu com lágrimas nos olhos que eu poderia estar dando oportunidade pra ela [...] fazer uma ligação aqui pra resolver a situação. No momento da ação ela ficou muito nervosa, chamou a atenção da polícia. Um menor foi baleado”.

Por outro telefone, conseguiu contatar a diretora da escola que lhe disse que a menina estava bem. Mas continuou a gravar e a despistar o tal Marcelo Andrade. “A diferença foi que eu deixei a minha filha na escola. Tivesse sido levada por outra pessoa, eu ficaria mais nervoso.”

Irritado com as negativas do pai da menina, o golpista desiste de seu plano. “Pode matar ela aí porque ele falou para ligar daqui a pouco. Pode matar ela. Mata ela. Ele está querendo enrolar lá, subestimar nossa inteligência”. E tenta sua última cartada. “É o seguinte: oportunidade você só dá uma na vida. Ele não quis aceitar a oportunidade. Mata, mata ela, pô.”

Leia a transcrição da conversa entre o motorista e o criminoso:

Golpista - Oi, Alô, o senhor é o que dela?
Pai - Quem ta falando?

Golpista - Você é o que da Sabrina?
Pai - Eu sou o tio dela

Golpista – Olha só. Veja bem companheiro. Não quero que o senhor envolve ninguém ai não. Ela foi vítima de um assalto e me garantiu com lágrimas nos olhos que eu poderia estar dando oportunidade pra ela aqui, entendeu, que ela poderia fazer uma ligação aqui pra resolver a situação aqui. No momento da ação ela ficou muito nervosa, chamou a atenção da polícia. Um menor foi baleado. A única coisa que eu quero no momento é garantir tá conversando com tal homem o qual ela falou para poder estar me ajudando a resolver a situação da forma que ela me falou ou vou ter que matar ela agora.
Pai - Eu não consigo falar agora

Golpista – Por causa de que você não consegue
Pai - Por que eu estou dirigindo.

Golpista - Olha só companheiro, ela ta aqui e ta bem eu quero soltar ela numa boa. Agora se o senhor ama não ela e diz ser o não for o homem ao qual que ela diz confiar eu vou desligar e vou matar ela. É isso que você quer?
Pai - Você pegou ela onde?

Golpista – Olha só, você quer que eu mate ela agora ou quer que eu solto ela?
Pai - Agora não consigo falar.

Golpista – Você ta acompanhado ou ta sozinho? Quem ta com você ai agora?
Pai - To acompanhado não da pra mim falar

Golpista – Olha só companheiro. Quero que você seja um cara homem comigo. Posso confiar em você da forma que ela falou ou vou ter que matar ela agora?
Pai - Liga daqui a pouco, grande. Falou.

Golpista – Pode matar ela ai porque ele falou pra ligar daqui a pouco. Pode matar ela. Mata ela. Ele ta querendo enrolar. La, subestimar nossa inteligência. É o seguinte, oportunidade você só dá uma na vida. Ele não quis aceitar a oportunidade. Mata, mata ela, pô.

    Leia tudo sobre: falso sequestrocrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG