Motorista de van escolar envolvida em acidente é solto no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO ¿ O motorista Carlos Alberto Rodrigues de Souza, de 57 anos, que dirigia a van envolvida em um acidente ocorrido ontem na Linha Vermelha, foi solto nesta quinta-feira, segundo determinação do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O acidente de trânsito deixou quatro crianças mortas e outras seis feridas. Carlos foi autuado por lesão corporal e homicídio culposo (sem intenção de matar).

Redação com Agência Estado |

De acordo com delegada titular da 37ª DP (Ilha do Governador), Leila Goulart de Souza, o motorista irá responder ao processo em liberdade. Inicialmente, Carlos só seria solto se pagasse a fiança estipulada em R$ 6 mil. O advogado do motorista entrou na Justiça com um pedido de liberdade condicional, já que seu cliente não teria dinheiro para pagar a fiança e, também por não ter antecedentes criminais.

Em sua decisão, o juiz Rodrigo Faria de Sousa considerou que embora gravíssimas as consequências das condutas imputadas ao preso deve ser mantida a regra do direito de liberdade do indivíduo. O magistrado também levou em consideração que o réu é primário e possui domicílio fixo, inexistindo, portanto, os requisitos da prisão preventiva.

Acidente

O acidente envolvendo a van escolar aconteceu na Linha Vermelha, na pista sentido centro, por volta das 14 horas, próximo à sede da Infraero, na Ilha do Governador. Segundo testemunhas, um reboque da prefeitura estava prestando socorro a outro veículo enguiçado, quando foi atingido pela van escolar.

Após a colisão, o veículo capotou, indo parar cerca de 50 metros de distância do local do acidente. A maior parte dos passageiros foi jogado para fora do automóvel. Segundo a delegada Leila Goulart de Souza, a van não tinha autorização para transportar alunos ¿ não tinha a placa específica, nem a faixa amarela que identifica esse tipo de transporte ou as portas nas duas laterais, como exige a legislação.

Ao que tudo indica, o motorista estava desatento, não viu o reboque parado. Não há nenhuma marca de frenagem no asfalto, informou a delegada, completando que a van era emplacada no município de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Estado do Rio.

Vítimas

As crianças que estavam na van eram alunas do tradicional Colégio Pedro II, localizado em São Cristóvão, na zona norte do Rio. Entre as vítimas que morreram no local, estavam duas meninas, uma de 14 anos e outra oito, e dois meninos, um de 11 anos e outro de sete.

As seis crianças que ficaram feridas no acidente permanecem hospitalizadas. Um menino de 12 anos está internado no Hospital Municipal Miguel Couto e, segundo a unidade, seu estado é grave. Ele teve um traumatismo no crânio e respira com o auxílio de aparelhos.

Três vítimas foram levadas para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, na Baixada Fluminense. De acordo com a secretaria estadual de Saúde, duas crianças continuam internadas na emergência pediátrica, mas serão transferidas para a clínica pediátrica. A terceira vítima foi transferida para o Hospital Santa Teresa, no município de Petrópolis, na região serrana.

Duas crianças que haviam sido levadas para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, foram medicadas e já receberam alta.

No Colégio Pedro II a notícia do acidente causou comoção. A direção da instituição decretou luto de três dias e hasteou a bandeira nacional a meio pau. Uma equipe de assistentes sociais foi enviada aos hospitais para auxiliar as famílias dos estudantes. O colégio não oferece transporte escolar e informou que a associação de pais tem um cadastro próprio de prestadores desse tipo de serviço.

Leia mais sobre: acidente de trânsito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG